Como se motivar para atingir suas metas?


motivacao

Para a maioria das pessoas, motivação vem de fora. É um estímulo artificial, um empurrão alheio. Esse efeito pode ocorrer em uma competição, uma meta profissional que uma equipe toda está turbinada para alcançar, uma promessa de ganho extra, ou uma expectativa de que o esforço será recompensado com algo que se quer muito no curto prazo, seja dinheiro, poder, amizade, amor ou qualquer tipo de benefício. Quando não há uma perspectiva de vantagem no futuro próximo, as pessoas geralmente desanimam. O caminho de repente se torna tortuoso e incerto.

Pessoas que vivem assim raramente atingem um nível de sucesso satisfatório. Isso porque elas não sabem que pessoas realmente bem sucedidas não vivem continuamente em uma nuvem de felicidade e animação, super motivadas com tudo o que fazem. Ninguém vive dessa forma! Muita gente tem uma expectativa de que para fazer as coisas “bem feitas” ou para ter iniciativa de fazer qualquer coisa, é preciso estar motivado. Isso é um erro. Pessoas bem sucedidas fazem o que tem que ser feito, quando precisa, mesmo que seja a coisa mais penosa e chata do mundo. É como um bom estudante que dá conta de suas obrigações escolares. Se ele estudar só quando está motivado, ele está perdido! Mas é justamente isso o que muitos estudantes fazem, e evidentemente, eles acabam tendo um desempenho medíocre, senão insatisfatório.

Então, o que quer que você pense ou espere sobre a motivação, é bom saber que não há como estar sempre motivado, você nunca deve ter esse tipo de expectativa. Além disso, é bom estar consciente de que para atingir suas metas, você terá que estar disposto a fazer o que não tem vontade, o que não gosta e até mesmo o que detesta.

Compreender esse ponto é muito importante para que você não leia um artigo como esse acreditando que existe alguma fórmula para se motivar que será tiro e queda para aniquilar sua falta de vontade. Nós, seres humanos, somos criaturazinhas complicadas! Não existe receita para viver eternamente motivado, mas isso é justamente o que você precisa entender! Quando você compreende que apesar de poder lançar mão de uma técnica ou outra para se dar uma injeção de ânimo de vez em quando, você não deve associar ação a esses momentos de entusiasmo. Se a motivação falhar, “que seja”, você continua andando.

Estude casos de sucesso

Nós nos desmotivamos com as coisas mais irrelevantes, mas da mesma forma também podemos nos motivar facilmente. Pesquisas demonstram que simplesmente ler sobre sucesso, motivação, metas ou as conquistas de outras pessoas faz com que nós desejemos alcançar o mesmo em nossas vidas. Muitos autores de autoajuda sugerem que as pessoas diminuam a quantidade de leitura ou exposição a notícias do momento e se foquem mais no estudo de assuntos positivos. O efeito no cérebro é interessante e inclusive, há pesquisas que mostram como as áreas do cérebro que estão relacionadas à ação e iniciativa são ativadas quando a pessoa se concentra na obtenção de informações sobre sucesso.

Cases de sucesso, ou seja, as histórias de como outras pessoas prosperaram e venceram na vida, são de enorme importância nesse processo. Conhecer o caminho e a vitória de outras pessoas nos tira de nosso casulo individual e familiar e abre nossa visão de mundo. Passamos a ter a impressão de que se o fulano conseguiu, nós também podemos conseguir e essa percepção tem uma influência muito forte na motivação.

Isso não quer dizer que você deve virar um idiota que não lê, não escuta, não assiste notícias e aí não sabe o que está acontecendo no mundo! É perfeitamente possível organizar seu dia de forma que você possa se informar sobre o cotidiano, sem ter que investir muito tempo obtendo informações. De fato, se você observar o formato dos noticiários e jornais, as novidades do dia se resumem a umas duas ou três ocorrências importantes que ficam sendo repetidas continuamente a cada novo programa ou artigo em sites especializados.

Não se compare aos outros

Isso é complicado, muito complicado! Essa é uma das mais básicas características sociais humanas e é muito difícil nos desvincularmos da nossa própria natureza. Até certo ponto, nós não temos como evitar certas comparações, contudo, nós podemos nos tornar mais conscientes deste processo, evitando equiparações sem sentido.

A grama sempre parece mais verde do outro lado da cerca. É certo que ao olharmos a vida de outras pessoas, podemos ter a impressão de que tudo está muito bom, que elas não têm problema algum, que são muito bem sucedidas, felizes e realizadas, enquanto você amarga uma vida empacada. Evite achar que a vida de outras pessoas é perfeita, pois nunca é! Também não entre em linhas de raciocínio que questionam suas escolhas de vida como erradas e as dos outros como certas. É muito fácil se desmotivar se você enfia na cabeça que é um “perdedor” em um mundo de “vencedores”. A maioria das pessoas nesse mundo tem problemas, mesmo que de fora você não consiga vê-los ou mesmo imaginá-los.

Saiba por que você está fazendo as coisas

Um dos fatores desmotivadores mais potentes é a falta de sentido. Se você não sabe por que está fazendo algo, é natural se desmotivar e achar que tudo aquilo é besteira e sem razão. Há duas vertentes aqui: falta de perspectiva e falta de propósito.

Falta de perspectiva ocorre quando a pessoa não consegue enxergar que a vida não é uma estrada límpida de prazeres e felicidade e começa a achar que todas as atividades no meio do caminho são chatas e sem propósito. Na maioria das vezes, não é o caso. É como o estudante que fica rebelde e se nega a estudar quando ele começa a achar que “nunca vai usar nada daquilo na vida”. Ele não entende o “espírito da coisa” e se prende às minúcias de detalhes que realmente não serão rememorados na vida pós-escola, sem perceber o papel daquele esforço no desenvolvimento de seu cérebro e capacidade de raciocínio lógico. O mesmo efeito ocorre com tudo o que exige um processo longo e árduo para ser conquistado: de perda de peso à ascensão profissional, muita gente no meio do caminho começa a achar que as atividades não têm propósito algum, quando na realidade, elas estão se comportando como o estudante que acha que “nunca vai usar matemática na vida”.

Muita gente se comporta dessa forma no trabalho, alegando que “o chefe manda fazer coisas que não têm sentido”. Bom, você está sendo pago para fazer essas coisas sem sentido, não está?! Bom, sem comentários… Podemos ir longe nessa questão, analisando-a sob diversas perspectivas, mas o X da questão é que se você está sendo pago para fazer algo, simplesmente faça ou peça demissão e vá fazer o que quiser se não concorda. Essa postura, contudo, dificilmente vai levá-lo a ser bem sucedido na vida. O sucesso profissional não é conquistado quando você faz coisas em um ambiente corporativo que possuem profundo sentido, mas quando você faz o seu trabalho, o que quer que ele seja. Rebeldia profissional só funciona quando você é o dono da empresa e mesmo assim, há mais casos de rebeldes fracassados do que bem sucedidos.

Entretanto, não podemos perder perspectiva do segundo ponto: propósito. Mas você não acabou de dizer que devemos chutar o balde do propósito e fazer o que nos mandam fazer?! São duas coisas diferentes! Quem tem que ter propósito é você, não seu chefe! Você precisa ter um quadro maior que une suas decisões e iniciativas na vida. Isso confere sentido ao que você faz, mas não necessariamente às atividades que você realiza no cotidiano. É aí que mora a confusão. Muita gente espera que viver com propósito signifique que tudo o que você faz no dia a dia precise necessariamente ser algo de profunda importância. Não é assim que funciona! Tanto em nossas vidas particulares, quanto no andamento de empresas, muitas atividades aparentemente sem sentido precisam ser realizadas para que o bonde continue andando, mesmo quando não conseguimos amarrar uma coisa à outra para entendermos como tudo funciona.

Uma posição profissional, por exemplo, deve caber dentro de um propósito de crescimento na carreira mais amplo. As atividades do dia a dia desse cargo, contudo, não importam. É como fazer exercícios de matemática na escola. Podem ser chatos, podem parecer sem sentido, mas possuem um propósito maior no conjunto das metas para a sua vida.

Quando você tem esse senso de propósito circundando tudo o que você faz, você não se sente desmotivado fazendo coisas que aparentemente não têm sentido, pois o sentido não está ali naquela atividade. Se você assistiu Karatê Kid, você deve lembrar que o garoto Daniel ficava muito desmotivado e até mesmo enfurecido com seu mestre quando ele lhe passava suas atividades diárias, que consistiam geralmente em atividades domésticas. Ele não conseguia entender como tudo aquilo estava conectado ao ensinamento de karatê que o mestre deveria estar lhe dando. No final, entendemos junto com o personagem, que todos aqueles movimentos realizados nas atividades repetitivas, como pintar uma cerca, tinham o propósito de desenvolver os movimentos da arte marcial naturalmente.

Mantenha um registro do seu progresso

Pessoas pessimistas tendem a generalizar para baixo sua percepção, se tornando cegas para o progresso que já foi feito. Nós sempre achamos que não vamos esquecer que fizemos algo ou como aquilo teve um impacto positivo nos resultados que estamos tentando alcançar. Também tendemos a achar que o progresso é evidente, quando acontecer “nós vamos notar”. Essas duas suposições são enganosas. À medida que o tempo passa, nosso passado se mescla em um amontoado de memórias que explicam como chegamos até aqui. Nós sabemos o que aconteceu, mas perdemos aos poucos a capacidade de amarrarmos cada passo em uma linha que pode nos mostrar claramente o quanto já galgamos em direção a nossas metas.

Em momentos de desilusão, tendemos a esquecer ou passar por cima de todo esse progresso, achando que não estamos progredindo e que estamos empacados. Muitas vezes, isso não é verdade. Para escaparmos desse tipo de armadilha, não há nada melhor do que manter um registro escrito e organizado de tudo o que já foi feito em direção a cada meta.

Cada pessoa tem preferência para um formato específico. Eu que gosto de escrever bastante, por isso mantenho um diário com fatos e pensamentos sobre eles. Há pessoas que gostam de registrar o progresso na própria agenda usada no cotidiano em formato de anotações breves. Outras ainda utilizam apps no telefone ou tablet. Não importa como você mantenha registro do seu progresso, o importante é que você não deixe de marcar em algum lugar o que foi feito. Em momentos de desmotivação, você poderá olhar para trás e ver que, talvez para sua própria surpresa, você já subiu vários degraus mesmo sem perceber.

Se, pelo contrário, você percebe que não está progredindo, através das anotações você pode ter uma ideia melhor do que está roubando seu tempo no dia a dia e planejar como irá corrigir o rumo ou ajustar sua rotina.

Essas são apenas algumas dicas. Existem inúmeras técnicas de motivação das quais você pode lançar mão para atingir suas metas. É muito importante, contudo, não perder perspectiva desses pontos que foram analisados aqui:

– Entender que se você quer crescer na vida, você vai ter que fazer um monte de coisas chatas e difíceis que você não tem a mínima vontade de fazer. Você não precisa (nem deve esperar) se sentir motivado para fazer tudo na vida. Tal expectativa é a razão do fracasso de muita gente, não seja como elas!

– Você deve ter seu próprio propósito e procurar compreender como as atividades aparentemente sem sentido do cotidiano possuem um papel fundamental na construção da vida que você quer para você (mesmo que o papel seja lhe providenciar dinheiro para pagar as contas no final do mês).

– Não se comparando com os outros achando que a vida de todo mundo é perfeita, só a sua que é uma porcaria!

– Manter anotações do cotidiano para ter noção do seu progresso ou ajustar as atividades para corrigir baixa produtividade.

Para a maioria das pessoas, motivação vem de fora. É um estímulo artificial, um empurrão alheio. Esse efeito pode ocorrer em uma competição, uma meta profissional que uma equipe toda está turbinada para alcançar, uma promessa de ganho extra, ou uma expectativa de que o esforço será recompensado com algo que se quer muito no curto prazo, seja dinheiro, poder, amizade, amor ou qualquer tipo de benefício. Quando não há uma perspectiva de vantagem no futuro próximo, as pessoas geralmente desanimam. O caminho de repente se torna tortuoso e incerto.

Pessoas que vivem assim raramente atingem um nível de sucesso satisfatório. Isso porque elas não sabem que pessoas realmente bem sucedidas não vivem continuamente em uma nuvem de felicidade e animação, super motivadas com tudo o que fazem. Ninguém vive dessa forma! Muita gente tem uma expectativa de que para fazer as coisas “bem feitas” ou para ter iniciativa de fazer qualquer coisa, é preciso estar motivado. Isso é um erro. Pessoas bem sucedidas fazem o que tem que ser feito, quando precisa, mesmo que seja a coisa mais penosa e chata do mundo. É como um bom estudante que dá conta de suas obrigações escolares. Se ele estudar só quando está motivado, ele está perdido! Mas é justamente isso o que muitos estudantes fazem, e evidentemente, eles acabam tendo um desempenho medíocre, senão insatisfatório.

Então, o que quer que você pense ou espere sobre a motivação, é bom saber que não há como estar sempre motivado, você nunca deve ter esse tipo de expectativa. Além disso, é bom estar consciente de que para atingir suas metas, você terá que estar disposto a fazer o que não tem vontade, o que não gosta e até mesmo o que detesta.

Compreender esse ponto é muito importante para que você não leia um artigo como esse acreditando que existe alguma fórmula para se motivar que será tiro e queda para aniquilar sua falta de vontade. Nós, seres humanos, somos criaturazinhas complicadas! Não existe receita para viver eternamente motivado, mas isso é justamente o que você precisa entender! Quando você compreende que apesar de poder lançar mão de uma técnica ou outra para se dar uma injeção de ânimo de vez em quando, você não deve associar ação a esses momentos de entusiasmo. Se a motivação falhar, “que seja”, você continua andando.

Estude casos de sucesso

Nós nos desmotivamos com as coisas mais irrelevantes, mas da mesma forma também podemos nos motivar facilmente. Pesquisas demonstram que simplesmente ler sobre sucesso, motivação, metas ou as conquistas de outras pessoas faz com que nós desejemos alcançar o mesmo em nossas vidas. Muitos autores de autoajuda sugerem que as pessoas diminuam a quantidade de leitura ou exposição a notícias do momento e se foquem mais no estudo de assuntos positivos. O efeito no cérebro é interessante e inclusive, há pesquisas que mostram como as áreas do cérebro que estão relacionadas à ação e iniciativa são ativadas quando a pessoa se concentra na obtenção de informações sobre sucesso.

Cases de sucesso, ou seja, as histórias de como outras pessoas prosperaram e venceram na vida, são de enorme importância nesse processo. Conhecer o caminho e a vitória de outras pessoas nos tira de nosso casulo individual e familiar e abre nossa visão de mundo. Passamos a ter a impressão de que se o fulano conseguiu, nós também podemos conseguir e essa percepção tem uma influência muito forte na motivação.

Isso não quer dizer que você deve virar um idiota que não lê, não escuta, não assiste notícias e aí não sabe o que está acontecendo no mundo! É perfeitamente possível organizar seu dia de forma que você possa se informar sobre o cotidiano, sem ter que investir muito tempo obtendo informações. De fato, se você observar o formato dos noticiários e jornais, as novidades do dia se resumem a umas duas ou três ocorrências importantes que ficam sendo repetidas continuamente a cada novo programa ou artigo em sites especializados.

Não se compare aos outros

Isso é complicado, muito complicado! Essa é uma das mais básicas características sociais humanas e é muito difícil nos desvincularmos da nossa própria natureza. Até certo ponto, nós não temos como evitar certas comparações, contudo, nós podemos nos tornar mais conscientes deste processo, evitando equiparações sem sentido.

A grama sempre parece mais verde do outro lado da cerca. É certo que ao olharmos a vida de outras pessoas, podemos ter a impressão de que tudo está muito bom, que elas não têm problema algum, que são muito bem sucedidas, felizes e realizadas, enquanto você amarga uma vida empacada. Evite achar que a vida de outras pessoas é perfeita, pois nunca é! Também não entre em linhas de raciocínio que questionam suas escolhas de vida como erradas e as dos outros como certas. É muito fácil se desmotivar se você enfia na cabeça que é um “perdedor” em um mundo de “vencedores”. A maioria das pessoas nesse mundo tem problemas, mesmo que de fora você não consiga vê-los ou mesmo imaginá-los.

Saiba por que você está fazendo as coisas

Um dos fatores desmotivadores mais potentes é a falta de sentido. Se você não sabe por que está fazendo algo, é natural se desmotivar e achar que tudo aquilo é besteira e sem razão. Há duas vertentes aqui: falta de perspectiva e falta de propósito.

Falta de perspectiva ocorre quando a pessoa não consegue enxergar que a vida não é uma estrada límpida de prazeres e felicidade e começa a achar que todas as atividades no meio do caminho são chatas e sem propósito. Na maioria das vezes, não é o caso. É como o estudante que fica rebelde e se nega a estudar quando ele começa a achar que “nunca vai usar nada daquilo na vida”. Ele não entende o “espírito da coisa” e se prende às minúcias de detalhes que realmente não serão rememorados na vida pós-escola, sem perceber o papel daquele esforço no desenvolvimento de seu cérebro e capacidade de raciocínio lógico. O mesmo efeito ocorre com tudo o que exige um processo longo e árduo para ser conquistado: de perda de peso à ascensão profissional, muita gente no meio do caminho começa a achar que as atividades não têm propósito algum, quando na realidade, elas estão se comportando como o estudante que acha que “nunca vai usar matemática na vida”.

Muita gente se comporta dessa forma no trabalho, alegando que “o chefe manda fazer coisas que não têm sentido”. Bom, você está sendo pago para fazer essas coisas sem sentido, não está?! Bom, sem comentários… Podemos ir longe nessa questão, analisando-a sob diversas perspectivas, mas o X da questão é que se você está sendo pago para fazer algo, simplesmente faça ou peça demissão e vá fazer o que quiser se não concorda. Essa postura, contudo, dificilmente vai levá-lo a ser bem sucedido na vida. O sucesso profissional não é conquistado quando você faz coisas em um ambiente corporativo que possuem profundo sentido, mas quando você faz o seu trabalho, o que quer que ele seja. Rebeldia profissional só funciona quando você é o dono da empresa e mesmo assim, há mais casos de rebeldes fracassados do que bem sucedidos.

Entretanto, não podemos perder perspectiva do segundo ponto: propósito. Mas você não acabou de dizer que devemos chutar o balde do propósito e fazer o que nos mandam fazer?! São duas coisas diferentes! Quem tem que ter propósito é você, não seu chefe! Você precisa ter um quadro maior que une suas decisões e iniciativas na vida. Isso confere sentido ao que você faz, mas não necessariamente às atividades que você realiza no cotidiano. É aí que mora a confusão. Muita gente espera que viver com propósito signifique que tudo o que você faz no dia a dia precise necessariamente ser algo de profunda importância. Não é assim que funciona! Tanto em nossas vidas particulares, quanto no andamento de empresas, muitas atividades aparentemente sem sentido precisam ser realizadas para que o bonde continue andando, mesmo quando não conseguimos amarrar uma coisa à outra para entendermos como tudo funciona.

Uma posição profissional, por exemplo, deve caber dentro de um propósito de crescimento na carreira mais amplo. As atividades do dia a dia desse cargo, contudo, não importam. É como fazer exercícios de matemática na escola. Podem ser chatos, podem parecer sem sentido, mas possuem um propósito maior no conjunto das metas para a sua vida.

Quando você tem esse senso de propósito circundando tudo o que você faz, você não se sente desmotivado fazendo coisas que aparentemente não têm sentido, pois o sentido não está ali naquela atividade. Se você assistiu Karatê Kid, você deve lembrar que o garoto Daniel ficava muito desmotivado e até mesmo enfurecido com seu mestre quando ele lhe passava suas atividades diárias, que consistiam geralmente em atividades domésticas. Ele não conseguia entender como tudo aquilo estava conectado ao ensinamento de karatê que o mestre deveria estar lhe dando. No final, entendemos junto com o personagem, que todos aqueles movimentos realizados nas atividades repetitivas, como pintar uma cerca, tinham o propósito de desenvolver os movimentos da arte marcial naturalmente.

Mantenha um registro do seu progresso

Pessoas pessimistas tendem a generalizar para baixo sua percepção, se tornando cegas para o progresso que já foi feito. Nós sempre achamos que não vamos esquecer que fizemos algo ou como aquilo teve um impacto positivo nos resultados que estamos tentando alcançar. Também tendemos a achar que o progresso é evidente, quando acontecer “nós vamos notar”. Essas duas suposições são enganosas. À medida que o tempo passa, nosso passado se mescla em um amontoado de memórias que explicam como chegamos até aqui. Nós sabemos o que aconteceu, mas perdemos aos poucos a capacidade de amarrarmos cada passo em uma linha que pode nos mostrar claramente o quanto já galgamos em direção a nossas metas.

Em momentos de desilusão, tendemos a esquecer ou passar por cima de todo esse progresso, achando que não estamos progredindo e que estamos empacados. Muitas vezes, isso não é verdade. Para escaparmos desse tipo de armadilha, não há nada melhor do que manter um registro escrito e organizado de tudo o que já foi feito em direção a cada meta.

Cada pessoa tem preferência para um formato específico. Eu que gosto de escrever bastante, por isso mantenho um diário com fatos e pensamentos sobre eles. Há pessoas que gostam de registrar o progresso na própria agenda usada no cotidiano em formato de anotações breves. Outras ainda utilizam apps no telefone ou tablet. Não importa como você mantenha registro do seu progresso, o importante é que você não deixe de marcar em algum lugar o que foi feito. Em momentos de desmotivação, você poderá olhar para trás e ver que, talvez para sua própria surpresa, você já subiu vários degraus mesmo sem perceber.

Se, pelo contrário, você percebe que não está progredindo, através das anotações você pode ter uma ideia melhor do que está roubando seu tempo no dia a dia e planejar como irá corrigir o rumo ou ajustar sua rotina.

Essas são apenas algumas dicas. Existem inúmeras técnicas de motivação das quais você pode lançar mão para atingir suas metas. É muito importante, contudo, não perder perspectiva desses pontos que foram analisados aqui:

– Entender que se você quer crescer na vida, você vai ter que fazer um monte de coisas chatas e difíceis que você não tem a mínima vontade de fazer. Você não precisa (nem deve esperar) se sentir motivado para fazer tudo na vida. Tal expectativa é a razão do fracasso de muita gente, não seja como elas!

– Você deve ter seu próprio propósito e procurar compreender como as atividades aparentemente sem sentido do cotidiano possuem um papel fundamental na construção da vida que você quer para você (mesmo que o papel seja lhe providenciar dinheiro para pagar as contas no final do mês).

– Não se comparando com os outros achando que a vida de todo mundo é perfeita, só a sua que é uma porcaria!

– Manter anotações do cotidiano para ter noção do seu progresso ou ajustar as atividades para corrigir baixa produtividade.

Fonte: SONHOS ESTRATÉGICOS

%d blogueiros gostam disto: