Cuidados pós-operatórios na extração do dente do siso evitam infecções. Saiba mais


O que são os dentes do siso?

Dentes do siso, dentes do juízo ou terceiros molares são os últimos dentes que se acomodam na arcada dentária. Isso normalmente ocorre entre os 17 e 20 anos de idade. Estão em número de dois na arcada superior (maxila) e dois na arcada inferior (mandíbula), dispostos um de cada lado (direito e esquerdo).

Por que algumas pessoas precisam extrair o dente do siso?

Os dentes do siso devem ser removidos em algumas situações específicas, como:

  • Falta de espaço na arcada dentária (arcada pequena ou dentes com o tamanho muito grande);
  • Dente acometido por cárie extensa ou reabsorção radicular;
  • Falta de contato oclusal com o dente antagonista (o superior tem que morder no inferior ou vice-versa);
  • Indicações ortodônticas ou protéticas;
  • Posicionamento inadequado sem possibilidade de correção através de tratamento ortodôntico;
  • Processos álgicos na região, associados ou não à articulação temporomandibular;
  • Processo infeccioso recorrente na região gengival (atrás ou próximo a este elemento).

Quais os primeiros cuidados a se tomar depois dessa extração?

Basicamente evitar: fumar, esforço físico, contato com alimento duro ou quente, colocar o dedo na região, abaixar a cabeça, nadar, fazer sauna ou falar muito.

Quais alimentos são liberados e quais são proibidos?

Liberados: alimentos em uma temperatura fria e de consistência macia, por exemplo: sopa, mingau, caldo, suco de fruta, massas (macarrão, lasanha) e o famoso sorvete.

Proibidos: alimentos de consistência dura ou quente, por exemplo: carne, chiclete, maçã, cenoura crua, café ou chá quente.

Pode-se fumar ou ingerir bebida alcoólica após a extração?

Esta prática é totalmente não recomendada, pois o cigarro, cachimbo ou charuto, além de promoverem a elevação da temperatura dos tecidos em contato com a fumaça produzida por eles, ainda apresentam na sua composição dezenas de elementos químicos que retardam a coagulação e podem promover a perda do coágulo sanguíneo que protege o alvéolo logo após a exodontia, podendo levar a mesma a um quadro infeccioso que chamamos de alveolite. Com relação ao álcool, pode interagir com o medicamento utilizado, debilitar e desidratar sistemicamente o organismo que faz uso do mesmo, diminuindo a resistência fisiológica, aumentando dessa maneira o risco de infecção, e também agir localmente como agente irritante do tecido mucoso que reveste a boca e o sistema digestivo.

Em caso de sangramento, o que fazer?

Primeiramente manter sempre a calma, ficar deitado com a cabeça posicionada pouco acima do resto do corpo (utilizar dois travesseiros), colocar uma gaze ligeiramente embebida em soro fisiológico frio no local e promover uma gentil compressão, fazer compressas com bolsa térmica gelada ou gelo envolvido por um saco plástico no local (externo da face), evitar falar ou fazer bochechos. Aguardar de 20 a 30 minutos, observar se ocorreu a diminuição do sangramento. Caso contrário, entre em contato com o seu cirurgião.

Quanto tempo é normal a pessoa sentir dor?

Diversos estudos apontam para iniciar a utilização do analgésico pós-operatório imediatamente após o procedimento cirúrgico, com a finalidade de não cronificar a dor, pois o controle do processo doloroso no início é muito mais fácil. Em geral, pequena sensibilidade dolorosa é esperada até 48 horas após o procedimento cirúrgico. Sabemos que, se esse processo ocorrer após o quinto dia pós-operatório e for aumentando, devemos desconfiar de presença de infecção local. O cirurgião deve ser avisado imediatamente para que possa tomar as devidas providências, como, por exemplo, avaliar o local e promover a troca ou associação de novo medicamento.

É permitido fazer bochechos? Existe algum produto especial?

Os bochechos não são orientados principalmente na primeira semana pós-operatória. Após a escovação cuidadosa e delicada dos demais dentes, orientamos o paciente a colocar a água muito cuidadosamente na boca e, sem fazer força, deixá-la sair de maneira passiva. A manutenção de substâncias à base de gluconato de clorexidina a 0,12% durante um minuto após a escovação sem bochechar também é recomendada, pois a clorexidina consegue promover a remoção da placa bacteriana no fio de sutura e nos locais próximos à cirurgia e ter uma importante ação antisséptica local.

Esforços físicos são permitidos a partir de quantos dias?

Irá depender do tipo e intensidade do esforço, mas normalmente atividades físicas mais intensas, como as praticadas na academia de ginástica, somente após sete dias do procedimento.

Há alguns cuidados na hora de dormir?

Fazer a correta higienização dos dentes e não comer no meio da noite esquecendo de higienizar depois, pois durante o sono temos a diminuição da produção do fluxo salivar, podendo diminuir a proteção dada pela saliva ao local operado e promover até uma infecção.

Dr. Sidney Rafael das Neves é Cirurgião-Dentista, mestre e especialista em Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial e membro do Colégio Brasileiro de Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial. É também Cirurgião Buco-Maxilo-Facial credenciado no Hospital Israelita Albert Einstein e São Luiz, vice-diretor do Departamento Científico de Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial e Coordenador do Curso de Cirurgia Oral Avançada, ambos da Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas. CRO 49.309

About these ads

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 8.018 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: